terça-feira, 20 de abril de 2010

INTERDISCIPLINARIDADE

INTERDISCIPLINARIDADE
Aluna: Waldeni Monteiro Fontes
Graduada em Ciências Biológicas (CEULP-ULBRA)
Normal Superior (UNITINS)
Docente: Profª. Ms. Edna Maria Cruz Pinho
E-mail: waldenif@hotmail.com



RESUMO

Este artigo tem por objetivo esclarecer a necessidade e a importância da execução de projetos interdisciplinares na escola. Sendo que o mesmo tem um significado de grande relevância no que se refere ao desenvolvimento e a participação dos alunos. Esta prática ainda é muito almejada nas escolas, pois não tem sido desenvolvida de forma a satisfazer os desejos de muitos. A interdisciplinaridade tem um sentido de troca de informações, a mesma precisa ser compreendida para não haver desvio na sua prática. Para o educador este cenário de práxis pode estimular as suas competências apresentando-se como possibilidade de reorganização dos saberes. A aprendizagem da atitude interdisciplinar garante para os que a praticam um grau elevado de maturidade. Este trabalho foi desenvolvido através de pesquisas bibliográficas e atividades em grupos em sala de aula, nas apresentações realizadas houve grande aprendizado do conteúdo mencionado.



 Palavras-chave: projeto, interdisciplinaridade, multidisciplinaridade, pluridisciplinaridade.


1 – INTRODUÇÃO


          O estudo realizado sobre projetos interdisciplinares, apresenta formas de analisar os conhecimentos teórico-metodológicos da prática docente, de acordo com a perspectiva interdisciplinar, esclarecendo as características básicas para a construção e desenvolvimentos de tais projetos, com possível inserção no currículo escolar. Neste contexto de estudos apresenta a importância da prática da pesquisa e a interação de diversas áreas de estudos, assim como a integração de diferentes disciplinas. Tendo em vista a possibilidade de aprofundamento, reflexão e compreensão a cerca da função social do professor, a partir de analises da realidade local, dos problemas e soluções contextualizadas, isto porque na realização de projetos interdisciplinares precisa haver discussões entre professores e alunos a fim de obter um resultado satisfatório à comunidade escolar. É mencionado as notáveis diferenças existentes entre a interdisciplinaridade e a multidisciplinaridade, que para compreendê-las é fundamental ter um raciocínio dialético, orientado no sentido de aprender seu movimento e seu potencial, analisar os fenômenos numa dimensão de totalidade e capitar suas múltiplas determinações e a lei que rege sua transformação. Para alcançar os objetivos propostos de uma aprendizagem sucinta, faz-se necessário as contribuições de diversas disciplinas, gerando dessa forma possibilidades novas e oportunidades de um novo saber. Nessa prática interdisciplinar, são tomadas idéias básicas, conceitos e elos de ligação entre as questões estudadas com a contribuição de diversas disciplinas, e desta forma, chega assim atingir a compreensão da realidade.


2 – DESENVOLVIMENTO


2.1 – PROJETO

          O desenvolvimento de um projeto pode ser considerado como: lançar idéias para frente, prever as etapas de um trabalho, e definir aonde se quer chegar, Durante o trabalho prático, saberermos como agir, que decisões tomar e qual o próximo passo a dar na direção do objetivo desejado. Segundo ANTUNES, um projeto é em verdade uma pesquisa ou uma investigação, desenvolvida sobre um tema ou tópico que seja interessante para se conhecer, e que deverá ser desenvolvida com participação dos  alunos. O maior sucesso de um projeto é a participação dos alunos e o esforço investigativo, em busca da resposta para o tema proposto e que nesta busca, abre caminhos para um aprendizado prazeroso, isto porque o aluno se sentirá honrado em participar do desenvolvimento de um projeto.
          A forma mais viável para se estudar projetos é considerá-lo como um complemento de uma ou mais disciplinas, uma boa observação é que o projeto é feito com as crianças e não para as crianças, desta forma pode se dizer que as mesmas são sujeitos ativos e participantes da divulgação passando pela pesquisa. Portanto o trabalho com projetos deverá atender ao interesse das crianças como alunos.
         Este trabalho demanda envolvimento, responsabilidade e compromisso, neste sentido essa atitude desenvolve a cooperação e a solidariedade entre alunos e educadores. O papel do educador no projeto e sua intervenção, não prejudicam a participação das crianças, mas auxilia e orienta no seu desenvolvimento. O educador, opina, toma decisões, planeja os trabalhos e influi no processo, é também um consultor um mediador e articulador, portanto seu papel não pode faltar. O projeto deve ser flexível e ainda responder as demandas do trabalho, mantendo-se aberto a ajustes se necessário. O uso do tempo e do espaço e a organização do grupo são partes integrantes do projeto.
          Um projeto envolve complexidade e resolução de problemas, possibilitando a analise, a interpretação e a crítica por parte das crianças. Isto implica construir coletivamente uma questão que irá acompanhar o grupo em todo seu percurso e servirá de referencia para debates, discussões e reflexões.
         Para maior aproveitamento do trabalho desenvolvido pelas crianças (alunos), a avaliação deverá estar presente em todo processo desde o começo da execução do cronograma, e não somente quando o projeto está no final ou quando não der certo os acontecimentos.
          Um projeto deverá conter um tema delimitado como ponto de partida, que faça parte da realidade do aluno, que envolva outras disciplinas. Deve ter introdução, justificativa, objetivos: geral e especifico, metodologia, cronograma e resultado final.


2.2 – INTERDISCIPLINARIDADE

         
          A interdisciplinaridade inclui a troca, o intercambio das diferentes disciplinas, objetivando a integração total entre alunos e professores. É, portanto a integração das diferentes áreas de conhecimento, isto é uma integração real das disciplinas entre si, tornando um real trabalho de cooperação e troca, que por sua vez torna-se aberto ao diálogo e ao planejamento ( JAPIASSU, 1976).
          Para MARTINS, a interdisciplinaridade quando bem entendida, é sobre tudo, um tema nuclear que aglutina ou atrai saberes de varias disciplinas, que possam contribuir para desenvolver e complementar sua significação. No sentido interdisciplinar de somatória é tratado como uma globalização ou mesmo uma junção de matérias, que conduz ao aprofundamento de determinado conhecimento, também vê-se interdisciplinaridade como um todo, e com os elementos que a compõem sempre articulados e integrados entre si e com estruturas  coerentes e inter-relacionados.
           O trabalho com projetos interdisciplinares tem que abordar o assunto temático como um todo, pois as significações das partes se integram e se completam na totalidade, e estão vinculadas por intimas ligações às quais podem originar novos conhecimentos e novos conceitos. A organização dos projetos coletivos de pesquisa deverá ser por meio de planejamento conjunto de diversas matérias disciplinares estabelecendo:
- um só objetivo a ser almejado;
- partilha de tarefas a serem realizadas em vista desse objetivo;
- caminhos de exploração diferentes, de acordo com as disciplinas;
- conceitos múltiplos a partir do enfoque de cada disciplina. 
Se assim for os conhecimentos sobre o tema escolhido não serão compartimentalizados, mas interligados produzindo uma dimensão ampliada e socializada ao assunto que é objeto de estudo.
          É bom saber que para melhor aproveitamento do grupo, os resultados dos estudos e pesquisas realizados pelos diferentes grupos das disciplinas, deverão ser apresentados em seminário amplo, para maior troca e integralização de conhecimentos e das experiências adquiridas, devendo ser complementadas pelos professores das  classes participantes do projeto.
          Quanto a avaliação, poderá ser grupal ou se dar pela observação da participação individual no trabalho coletivo ou mesmo de maneiras convencionais.


2.3 – MULTIDISCIPLINARIDADE

          Quando se integra diferentes conteúdos de uma mesma disciplina ou ainda conteúdos de disciplinas distintas, sem a preocupação de se integrarem e cada disciplinas possui seu próprio objetivo. A multidisciplinaridade não possui a prática de um trabalho cooperativo. Para JAPIASSU (1976), a multidisciplinaridade se resumiria a um conjunto de disciplinas a serem trabalhadas simultaneamente sem que as relações entre as partes sejam explicitas por meio de objetivos pedagógicos claros e bem definidos.


2.4 – PLURIDISCIPLINARIDADE

          Na pluridisciplinaridade, os professores trabalham o mesmo tema, porem sem integração, continua assim os                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      departamentos individuais das disciplinas. Não existe nenhuma integração entre as diferentes disciplinas, não há também nenhum relacionamento entre os diferentes tipos de saberes, o conhecimento não é integrado.  Os professores podem trabalhar com um tema único, mas sem devida unificação, poderá acontecer alguma troca, mas esta não alcançará um nível de real integração e fusão de diferentes conhecimentos.  Para JAPIASSU (1976), torna-se uma justaposição de varias disciplinas  com um mesmo nível hierárquico,    agrupadas de modo a fazer aparecer as relações existentes entre elas, mas não menciona a integração professor e aluno,  nem diz respeito a cooperação de grupos e a pesquisa.                                                                                                                     


2.5 – CONCLUSÃO

          Através de estudos realizados sobre o tema projetos interdisciplinares, entende-se que o mundo não se constitui de fenômenos isolados, mas sim complementares entre si, e que não existe no subconsciente dos alunos departamentos para cada disciplina isoladamente.  O reconhecimento de tais relações, muitas vezes contraditórias, significa um avanço considerável na compreensão dessa realidade tão complexa, e que dessa forma, a transcendência dos limites disciplinares do conhecimento, torna-se uma condição fundamental ao olhar abrangente da interdisciplinaridade.  
          O fator inicial do saber interdisciplinar traz uma idéia de relação entre as partes de um dado conhecimento e abre caminhos para uma ampla integração. Portanto, interdisciplinaridade, significa relação entre as disciplinas evidenciadas por uma abordagem pedagógica curricular. A interdisciplinaridade não é uma categoria de conhecimentos, mas de ação. Não é somente a integração de conteúdos, mas a inter-relação entre diferentes disciplinas, considerando seus objetivos e metodologias próprias. A interdisciplinaridade busca a ressignificação da idéia de disciplina com seu objeto formal, e nesse sentido, não o nega, mas fortalece-o.
          Dá-se a conclusão que a interdisciplinaridade é uma categoria de ação e agir, com uma intenção de assumir uma atitude considerando o tempo e o espaço e, contudo valorizando a participação dos alunos tornando-o sujeito da situação. Enquanto que a multidisciplinaridade e a pluridisciplinaridade, não tem por objetivo a integração ou a inter-relação das disciplinas, não influencia o trabalho de pesquisa dos alunos e a integração com os professores.
         


REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

MARTINS, Jorge Santos. O trabalho com projetos de pesquisa; do ensino fundamental ao ensino médio. Campinas, SP: Papirus, 2001.

ANTUNES, Celso. Um método para o ensino fundamental: o projeto. 4 ed. Petrópolis, RJ: vozes, 2001

JAPIASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário